Recebendo o 13º, muita calma nessa hora….

*Por Paulo Queija.

Nesta época do ano é o tão esperado momento de receber o bônus natalino, mas uma cilada pode estar armada e é preciso ter cuidado e serenidade nessa hora.

Quando o trabalhador recebe o seu 13º, geralmente entre 15/11 e 15/12, muitas tentações estão disponíveis. De olho nesta fatia financeira, o comércio em geral e a própria indústria fazem todo um trabalho de marketing para induzir as pessoas a gastar e, sem dúvida, bastante neste período.

Antes de fazer qualquer uso deste dinheiro, a sugestão é parar para pensar. Isso mesmo! Pensar em seus  objetivos e propósitos, além de prestar a atenção de como está a sua vida nesse momento.

Mesmo parecendo uma dica um tanto “filosófica” demais, tomar a decisão utilizando a cabeça e não o coração é o melhor.  Preste atenção nas perguntinhas a seguir:

  • Você está com dívidas junto a bancos ou cartão de crédito?
  • Tem despesas que acontecerão no início do ano com material escolar dos filhos?
  • Está sem reservas?
  • Tem metas que pretende alcançar?

Então talvez seja o momento de você pensar em utilizar este valor ou parte dele para alguns dos destinos acima.

Um dos grandes problemas que causam insônia, ansiedade, estresse e sérios riscos de saúde são as dívidas que se acumulam, ou por mal gerenciamento do dinheiro ou por situações que não estavam previstas.

Já que os bancos e cartões de crédito cobram juros e multas exorbitantes, caso você tenha dinheiro vivo na mão, terá uma boa condição de pagar seus débitos com razoável desconto, numa quitação a vista. Portanto, talvez seja o momento certo para tirar mais este peso das costas e o nome do SERASA.

Outra coisa é pensar em fazer um pé de meia. Ter uma retaguarda para tornar sonhos em realidade ou mesmo ter uma reserva para eventualidades, pode ser uma boa ideia. Isso ajudará também em sua qualidade de vida, diminuindo o estresse pelos motivos citados anteriormente, dando um pouco mais de segurança para você e sua família.

Estas são escolhas e, como qualquer ação que decidimos tomar, será primordial ter claras as conseqüências.

Arriscar-se pode ser estimulante e particularmente considero algo saudável, agora, arriscar-se de forma inconsequente pode trazer sérios problemas e as vezes pode fazer com que você não consiga, como se diz na gíria, “aguentar o tranco”.

A sugestão é utilizar um recurso simples no seu orçamento pessoal, ou seja, coloque numa planilha suas entradas e despesas e saiba o quanto gasta por mês, além de orçar quais gastos pretende fazer que estão fora do orçamento. Nesta mesma planilha você pode também reservar um valor para sua “poupança”, aplicando num investimento financeiro que considerar mais adequado.

Caso não tenha uma planilha, baixe uma que montei, bastando somente cadastrar um login e senha (rapidamente) e a partir daí poderá utilizá-la para tirar melhor proveito de seus recursos.
Clique aqui e depois no item: Planilha de Orçamento Pessoal.

Boas escolhas.

Sucesso!

Paulo Queija é diretor da MQS Consultoria e Treinamento Empresarial, Coaching, Palestrante e Consultor em Gestão Empresarial e Pessoal. Co-autor do Livro “Ser Mais com PNL – Dicas e Estratégias de Programação Neurolinguística que podem mudar sua vida.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *