Você já soube?

* Por Paulo Queija.


Ainda não? Então deixa eu te contar, mas fica só entre nós….

Este é o início de algo que todos conhecemos bem: Fofoca. Dentro de algumas organizações este é um dos grandes males, mas o que importa mesmo é: Você faz parte disso?

As pessoas que disseminam os boatos podem ser facilmente identificadas e por isso mal vistas pelos gestores, justamente por serem as criadoras de conflitos e desavenças.

Os motivos pelos quais as pessoas se comportam desta forma são diversos, mas , estão relacionados à falta de equilíbrio e confiança em si mesmo.

No momento em que a preocupação com a vida alheia é comum, toda a energia despendida na busca e disseminação destas “novidades” faz com que este profissional perca o foco naquilo que realmente importa para o seu desenvolvimento, afastando-o da condição de se “auto enxergar”. E tenha certeza que o esforço para manter este tipo de atitude é muito grande e, ao mesmo tempo, reforça um comportamento vicioso e nada sadio.

Isso se aplica tanto nas conversas pessoais como a propagação via redes sociais. Dizer: “Eu só recebi e repassei”, nos torna cúmplices do ato e, em alguns casos é considerado crime.

Outro fator importante a ser considerado é que este padrão comportamental evidencia e deixa em dúvida a conduta ética e confiabilidade de quem o pratica, fazendo com que as pessoas se afastem e evitem passar informações importantes, justamente pelo medo do que ele ou ela fará com isso.

Vale então considerar algumas sugestões:

  • sempre tenha atitudes positivas e a ética como ponto principal de sua conduta
  • ao receber uma “novidade fresquinha” não passe para frente
  • seja discreto e respeite a privacidade dos colegas
  • desencoraje este tipo de atitude (fofoca) junto às pessoas a sua volta

Enfim, seja um exemplo de conduta, pois agindo assim, é certo que por onde passar lembrarão de você com respeito e admiração.

Sucesso!!

Paulo Queija é diretor da MQS Consultoria e Treinamento Empresarial, Coaching, Palestrante e Consultor em Gestão Empresarial e Pessoal. Co-autor do Livro “Ser Mais com PNL – Dicas e Estratégias de Programação Neurolinguística que podem mudar sua vida.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *