Consultoria e Treinamento Empresarial

  • Home
  • MQS
  • Equipe
  • Eventos e Cursos
  • Produtos
  • Artigos
  • Imprensa
  • Galeria de fotos
  • Contato
  • Últimos Artigos

    Por que treinar?

    Por: Paulo S. Queija, 12/05/2010

    Diversos empresários respondem-na, indagando “Vou gastar com alguém que irá me abandonar?”, ou “Será que vai valer a pena o dinheiro que investirei?”, enfim, colocando diversas barreiras para sua realização.

    Não colocar para o profissional o treinamento adequado, ocasiona muitas vezes para a empresa o desperdício de recursos materiais, financeiros e humanos.

    “Os erros por falta de preparação de nosso pessoal podem nos custar mais caro do que treiná-los corretamente.”

    O treinamento, desde que bem direcionado, nos poupa de grandes aborrecimentos advindos dos erros por falta de preparação do pessoal, erros estes provenientes de informações repassadas de forma incompleta e desordenada ou muita vezes omitidas.

    Na verdade vários itens precisam ser considerados, temos que verificar qual será o Custo/Benefício ao treinar alguém, ou seja, quanto investir e o retorno obtido, que poderá ser medido de forma monetária (dinheiro) ou através do desempenho deste profissional.

    Paralelamente escolheremos quem será treinado, verificando se esta é a pessoa certa para o treinamento. Um exemplo errôneo é enviar um atendente para fazer um curso de gerenciamento, provavelmente o que ele irá aprender será de grande valia pessoal para futuro, mas de pouca eficácia para empresa, pelo menos naquele momento (você poderá estar pensando que este é um exemplo um pouco absurdo, mas de acordo com a nossa experiência, acontece mais do que muitos imaginam).

    Em várias ocasiões, os funcionários podem ser treinados pelos seus chefes e/ou colegas de trabalho, desde que estes conheçam bem o assunto a ser repassado.

    Isto é bom, pois temos pessoas ansiosas em poder compartilhar seu conhecimento com bastante competência para tal, mas, por outro lado, corremos o risco dos seus “vícios” e paradigmas antigos, responsáveis por grandes entraves e ransos, serem repassados juntamente com o conteúdo ao pessoal treinado.

    Em outros momentos é preciso enviar estes profissionais a Empresas ou Instituições especializadas em Treinamento, que tenham condições de repassar as técnicas, através de uma visão externa ao ambiente de trabalho.

    De qualquer forma, existe o lado positivo e negativo de cada opção, mas o que seria dos líderes se não tivessem decisões a serem tomadas e responsabilidades a serem assumidas por suas atitudes.

    As empresas que vislumbram o seu futuro, sabem que sem a preparação adequada de todas as pessoas que a compõem, não há condição de competitividade no mercado agressivo que vivemos hoje.

    “Já não é mais tempo de mediocridade,  daqui para frente ninguém terá mais o direito de ser medíocre.”      Professor L.A.Marins Filho

     Pense um pouco e 
                                         haja rapidamente
                                                                           antes que seja .....

    SUCESSO !!!



    Paulo S. Queija
    Diretor da MQS Consultoria Coaching, Palestrante e Consultor em Gestão Empresarial e Pessoal. Co-autor do Livro "Ser Mais com PNL - Dicas e Estratégias de Programação Neurolinguística que podem mudar sua vida."

    « Voltar